"Com todo o cuidado guarda teu coração, pois dele procede a vida" (Pv. 4, 23)

23 de dez de 2014

Guarda o teu coração...




Um fim de ano de felicidade,
amor, generosidade, afetividade,
harmonia sem fim. 
E que perdure por 2015 
em nossos pensamentos, ações e palavras. 


"Com todo o cuidado, guarda o teu coração, 
pois dele procede a vida." 
(Pv. 4,23)

"O Natal costuma ser sempre uma ruidosa festa;
entretanto se faz necessário o silêncio, para que se consiga ouvir a voz do Amor.
Natal é você, quando se dispõe, todos os dias, a renascer 
e deixar que Deus penetre em sua alma.
O pinheiro de Natal é você, 
quando com sua força, resiste aos ventos e dificuldades da vida.
Você é a decoração de Natal, 
quando suas virtudes são cores que enfeitam sua vida.
Você é o sino de Natal, 
quando chama, congrega, reúne.
A luz de Natal é você 
quando com uma vida de bondade, paciência, 
alegria e generosidade consegue ser luz a iluminar o caminho dos outros.
Você é o anjo de Natal 
quando consegue entoar e cantar sua mensagem
 de paz, justiça e de amor.
A estrela ­guia do Natal é você, 
quando consegue levar alguém, ao encontro do Senhor.
Você será os Reis Magos 
quando conseguir dar, de presente, 
o melhor de si, indistintamente a todos.
A música de Natal é você, 
quando consegue também sua harmonia interior.
O presente de Natal é você, 
quando consegue comportar-se 
como verdadeiro amigo e irmão de qualquer ser humano.
O cartão de Natal é você, 
quando a bondade está escrita no gesto de amor, 
de suas mãos.
Você será os “votos de Feliz Natal” 
quando perdoar, estabelecendo de novo, a paz, 
mesmo a custo de seu próprio sacrifício.
A ceia de Natal é você, 
quando saciar de pão e esperança, 
qualquer carente ao seu lado.
Você é a noite de Natal 
quando consciente, humilde, longe dos ruídos
 e das grandes celebrações, em silêncio, 
recebe o Salvador do Mundo.
Um muito Feliz Natal a todos 
que procuram assemelhar-­se 
com esse Natal." 

Papa Francisco


Texto: atribuído ao Papa Francisco
Imagem© 
Efêmero [Moema N Queiroz, Belo Horizonte/MG-2014]
https://www.flickr.com/photos/monaquevix/
© Moema N Queiroz. Please be respectful of copyright. Unauthorized use prohibited



14 de dez de 2014

Farewell


My father when child

"Dark the stars and dark the moon
Hush the night and the morning bloom
Tell the horses and beat on your drum: 
Gone their master, gone their son

Dark the oceans, dark the sky
Hush the whales and the ocean tide
Tell the salt marsh and beat on your drum: 
Gone their master, gone their son

Dark to light and light to dark
Three black carriages, three white carts.
What brings us together is what pulls us apart 
Gone our brother, gone our heart

Hush the whales and the ocean tide
Tell the salt marsh and beat on your drum: 
Gone their master, gone their son."


Imagem: Moema N Queiroz

Gone - Ioanna Gika
http://letras.mus.br/ioanna-gika/gone/traducao.html
Composition: James Newton Howard


11 de dez de 2014

Before I die...


Ilustratioon by Gervásio Troche

"Before I die, 
I want to be somebody’s favorite hiding place,
 the place they can put everything they know they need to survive, 
every secret, 
every solitude, 
every nervous prayer,
 and be absolutely certain 
I will keep it safe. 
I will keep it safe. "
 Andrea Gibson




Ilustração by Sungwoun


Impermanência© (por Moema N. Queiroz)


"SOMOS TODOS VISITANTES DESSE TEMPO E DESSE LUGAR.
 ESTAMOS SÓ DE PASSAGEM..."

Daddy and me

2014 tem sido um ano de despedidas em minha família. 
Muitas pessoas queridas se foram. 
Familia grande é assim: combina a chegada em bando mas o retorno à Casa também... 
À nós que cá estamos, desse outro lado, as memórias e legados, sentimentos em turbilhões sendo trabalhados, refinamentos de nossa alma, lapidação de diamantes brutos... 
as lágrimas dão espaço a um vago olhar, a um pranto interno, silencioso e quase imperceptível, surdo, pra dentro, sufocado, pois a umidade na face parece não ter nem mais sentido. 
Apenas um vazio inicial que aos poucos vai se preenchendo com ecos, imagens, murmúrios, e tempos dentro de um tempo que se aloja dentro de nós e se aninha com garras e hifas e laços amalgamados que nos aquecem, quando solitários nos encontramos perdidos nesse vago olhar. 
Então nos damos conta de que tudo aqui é uma incrível experiência. 
Haverá tempo para festejarmos. 
Em algum momento os portais serão transpostos...



Father And Daughter
2000 Academy Award for Animated Short Film


19 de nov de 2014

Retrato do artista quando coisa (Manoel de Barros)

"A maior riqueza
do homem
é sua incompletude.

Nesse ponto
sou abastado.

Palavras que me aceitam
como sou
— eu não aceito.

Não aguento ser apenas
um sujeito que abre
portas, que puxa
válvulas, que olha o
relógio, que compra pão
às 6 da tarde, que vai
lá fora, que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.

Perdoai. Mas eu
preciso ser Outros.

Eu penso
renovar o homem
usando borboletas."

(1916 -2014)

Belen Lopez



18 de nov de 2014

Sotoportego



Sotoportego

"Tem uma passagem estreita dentro de mim,
tão estreita que suas paredes me lenham toda,
mas essa passagem desemboca na largura de Deus.
Nem sempre tenho força para atravessar
este deserto sangrento, mesmo sabendo que,
se me forçar a me doer todo entre as paredes,
mesmo sabendo que desembocarei para a luz aberta
de uma dia trêmulo de sol macio..."



Imagem:
"Sotoportego" - Veneza, 2013. Moema N Queiroz
© Moema N Queiroz. Please be respectful of copyright. Unauthorized use prohibited

Desaprendendo


"Para apalpar as intimidades do mundo é preciso saber:


a) Que o esplendor da manhã não se abre com faca

b) O modo como as violetas preparam o dia para morrer

c) Por que é que as borboletas de tarjas vermelhas têm devoção por túmulos

d) Se o homem que toca de tarde sua existência num fagode, tem salvação

e) Que um rio que corre entre dois jacintos carrega mais ternura que um rio que flui entre dois lagartos

f) Como pegar na voz de um peixe

g) Qual o lado da noite que umedece primeiro 

etc, etc, etc

Desaprender oito horas por dia ensina os princípios."

O livro das ignorãças
Manoel de Barros


7 de out de 2014

Possibilidades© (Moema N Queiroz)



"A ruína é um presente. 
E pode ser a possibilidade de um novo caminho para a transformação. .."
...

caso você saiba o que fazer ao abrir esse pacote.



La Nave
(Venezia, IT - 2013)






Imagem e texto: Moema N. Queiroz
em 24 de fevereiro de 2013
Veneza, IT
© Moema N Queiroz. Please be respectful of copyright. Unauthorized use prohibited
https://www.flickr.com/photos/monaquevix/sets/72157643958244454/

23 de set de 2014

O medo da incerteza...

"Intimus" - Ines de Mello Neves (Belo Horizonte, MG, 2013)
 da Série "Morro de Amores"


“Jesus havia voltado à terra e andava incógnito entre as pessoas. Todos o reconheciam e sentiam o seu poder, mas ninguém se atrevia a pronunciar o seu nome. Não era necessário. De longe, o Grande Inquisidor o observa no meio da multidão e ordena que ele seja preso e trazido à sua presença. Então, diante do prisioneiro silencioso, ele profere a sua acusação:

- Não há nada mais sedutor aos olhos dos homens do que a liberdade de consciência, mas também não há nada mais terrível. Em lugar de pacificar a consciência humana, de uma vez por todas, mediante sólidos princípios, Tu lhe ofereceste o que há de mais estranho, de mais enigmático, de mais indeterminado, tudo o que ultrapassava as forças humanas: a liberdade. Agiste, pois, como se não amasses os homens… Em vez de Te apoderares da liberdade humana, Tu a multiplicaste, e assim fazendo, envenenaste com tormentos a vida do homem, para toda a eternidade…”

“O Grande Inquisidor estava certo. Ele conhecia o coração dos homens. Os homens dizem amar a liberdade, mas, de posse dela, são tomados por um grande medo e fogem para abrigos seguros. A liberdade dá medo. Os homens são pássaros que amam o voo, mas têm medo dos abismos. Por isso abandonam o voo e se trancam em gaiolas.

Somos assim: sonhamos o voo mas tememos a altura . Para voar é preciso ter coragem para enfrentar o terror do vazio. Porque é só no vazio que o voo acontece. O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Mas é isso o que tememos: o não ter certezas. Por isso trocamos o voo por gaiolas. As gaiolas são o lugar onde onde as certezas moram.

É um engano pensar que os homens seriam livres se pudessem, que eles não são livres porque um estranho os engaiolou, que eles voariam se as portas estivessem abertas… A verdade é oposto. Não há carcereiros. Os homens preferem as gaiolas aos vôos. São eles mesmos que constroem as gaiolas em que se aprisionam…”

“Deus dá a nostalgia pelo voo. As religiões constroem gaiolas.

(...) Os hereges são aqueles que odeiam as gaiolas e abrem as suas portas para que o Pássaro Encantado voe livre. Esse pecado, abrir as portas das gaiolas para que o Pássaro voe livre, não tem perdão. O seu destino é a fogueira”.


Palavras do Grande Inquisidor
“Os Irmãos Karamazov”de Dotoiévsksi
Por Rubem Alves




Imagem por Moema N Queiroz: 
Fragmento da pintura "Intimus" de Ines Neves 
(Coleção Privada)
http://issuu.com/claragontijo/docs/miolo-view3
http://issuu.com/claragontijo/docs/miolo-view3/1



28 de ago de 2014

Oração...



"Quando estou passando
Por momentos tristes
Me curvo aos Céus em busca de força
Pois sei que ela existe
Na forma de coisas que são invisíveis
Na forma de tudo que existe de bom
No vento que sopra
Na água da chuva
No clarão da Lua
Num raio de sol..."





Imagem por Moema N. Queiroz 
Pôr de sol
© Moema N Queiroz. Please be respectful of copyright. Unauthorized use prohibited


Portus Cale...


"Há uma música do Povo,
Nem sei dizer se é um Fado
Que ouvindo-a há um ritmo novo
No ser que tenho guardado
Ouvindo-a sou quem seria
Se desejar fosse ser
É uma simples melodia
Das que se aprendem a viver
Mas é tão consoladora
A vaga e triste canção
Que a minha alma já não chora
Nem eu tenho coração
Sou uma emoção estrangeira,
Um erro de sonho ido
Canto de qualquer maneira
E acabo com um sentido!"







21 de ago de 2014

Tessitura © (por Moema N. Queiroz)



"- Lindo!!! O que não pode fazer a pena no promissor e excitante mundo de possibilidades de um folha de papel quando é guiada por mãos hábeis, fieis ao brilhantismo de seu mestre, seguidoras do compasso ensurdecedor de um romântico e desesperado coração?"

"- Little Bird, quando ouvi a melodia e tomei conhecimento da letra dessa música, meu coração me levou a lugares tão remotos... tão intensos... tão emocionalmente delicados... E rendi-me apaixonadamente ao poeta e às suas emanações profundamente densas... Como se minha epiderme pudesse toda envolver-se em cada palavra, em cada paixão posta nos versos tão cuidadosamente construídos... um arrebatamento profundo e definitivo. E a sensação de voluntariamente mergulhar nesse enlouquecedor abismo e  retornar ... rediviva..."

"- Você também é tão desesperadamente romântica ... como eu ... Obrigada por isso, por estar aqui quando eu me sinto cair como folha ao vento... voando e caindo ao chão no mesmo instante..."


"- Sempre..."



Afetuosamente,
Moema

...




“nalgum lugar em que eu nunca estive,alegremente além
de qualquer experiência,teus olhos têm o seu silêncio:
no teu gesto mais frágil há coisas que me encerram,
ou que eu não ouso tocar porque estão demasiado perto

teu mais ligeiro olhar facilmente me descerra
embora eu tenha me fechado como dedos,nalgum lugar
me abres sempre pétala por pétala como a Primavera abre
(tocando sutilmente,misteriosamente)a sua primeira rosa

ou se quiseres me ver fechado,eu e
minha vida nos fecharemos belamente,de repente,
assim como o coração desta flor imagina
a neve cuidadosamente descendo em toda a parte;

nada que eu possa perceber neste universo iguala
o poder de tua imensa fragilidade:cuja textura
compele-me com a cor de seus continentes,
restituindo a morte e o sempre cada vez que respira

(não sei dizer o que há em ti que fecha
e abre;só uma parte de mim compreende que a
voz dos teus olhos é mais profunda que todas as rosas)
ninguém, nem mesmo a chuva,tem mãos tão pequenas“


e. e. Cummings
(tradução de Augusto de Campos)


Texto:
Moema N Queiroz

Edward Estlin Cummings
Estados Unidos
1894-1962
Poeta/Pintor/Ensaísta/Dramaturgo
http://www.culturapara.art.br/opoema/eecummings/eecummings.htm

Zeca Baleiro - Nalgum Lugar ( E.E. Cummings ): http://youtu.be/FofwtLDjsFw

11 de ago de 2014

Meu olhar sobre as Perséiades de Agosto...

Perseu e Andrômeda, no céu se observam, imortalizados em duas constelações. Porém, seu pranto pela distância um do outro são sentidas através das suas lágrimas que como estrelas cobrem os céus - as Perseíades ou Perseidas. Em agosto, na segunda quinzena, esse lindo espetáculo ocorre, vindo da constelação de Perseus . 

"Uma perseida sobre o fundo da Via Láctea" 
As pesquisas nos apresentam "as Perseidas ou Perséiades como uma prolífica chuva de meteoros associada ao cometa Swift-Tuttle. São assim denominadas devido ao ponto do céu de onde parecem vir, o radiante, localizado na constelação de Perseus. As chuvas de meteoros ocorrem quando a Terra atravessa um rastro de meteoros. Neste caso o rastro é denominado de nuvem Perseida e estende-se ao longo da órbita do cometa Swift-Tuttle. A nuvem consiste em partículas ejetadas pelo cometa durante a sua passagem perto do Sol. A maior parte do material presente na nuvem atualmente, tem aproximadamente 1.000 anos. No entanto, existe um filamento relativamente recente de poeiras neste rastro proveniente da passagem do cometa em 1862. Situada a Sul da Cassiopeia, entre o Pégaso e o Perseu, Andrômeda é uma constelação que teve origem na mitologia grega. Neste mito são referidas outras constelações relacionadas com ele, como a Cassiopeia, Cefeu, Perseu e Baleia. Segundo essa lenda, Cassiopeia era rainha e mulher do rei Cefeu. Juntos, reinavam no então chamado reino da Etiópia (note-se que esta Etiópia é lendária e não coincide com o atual país, do mesmo nome, sendo que este reino incluía territórios que constituem, nos nossos dias, Israel, Jordânia e Palestina). Juntos tiveram uma filha, de seu nome Andrômeda. Cassiopeia, que era mãe de Andrômeda, era uma mulher muito bela, mas tinha um grande defeito: era muito vaidosa. E, um dia, ao pentear os seus longos cabelos, vangloriou-se de ser ainda mais bela que as cinquenta ninfas do oceano, chamadas Nereides (filhas de Nereu e Dóris). Ao saberem disto, as Nereides foram queixar-se a Poseidon (Deus dos mares, na mitologia grega), pedindo a este que desse uma lição à rainha da Etiópia. Poseidon enviou então um monstro (representado pela constelação da Baleia) com o objectivo de devastar as costas do reino de Cefeu e Cassiopeia. Preocupados, os súbditos do rei pediram-lhe uma solução, pelo que Cefeu se dirigiu ao oráculo de Ámon, a fim de obter uma resposta. Ao recebê-la, ficou aterrorizado: para que a fúria do monstro fosse amainada, Cefeu teria de oferecer a sua filha Andrômeda, como sacrifício, à Baleia. Não vendo outra alternativa, Cefeu decidiu amarrar Andrômeda a um rochedo, à espera que esta fosse devorada pela Baleia. Porém, Perseu, herói conhecido por ter morto a Medusa (monstro cujos cabelos eram serpentes e que tinha o poder de petrificar quem olhasse para ela) viu Andrômeda naquele tormento e perguntou-lhe o que se passava, pelo que esta lhe contou a triste história que a envolvia. Perseu dirigiu-se então aos pais de Andrômeda e, depois de a ter pedido em casamento, usou a cabeça da Medusa para petrificar a Baleia. De seguida, Perseu libertou Andrômeda do rochedo a que estava presa e acabaram por se casar, sendo que, desta união nasceram seis filhos, dos quais se salientam Perses (antepassado dos reis persas) e Gorgófone (mãe de Tíndaro, futuro rei de Esparta)."


...


Enquanto inúmeras explicações científicas são verbalizadas, teorizadas e matematicamente comprovadas sobre as chuvas de meteoro, nada, absolutamente nada consegue diminuir a magia e a beleza em meus olhos ao mirar o céu e deixar fluir em mim a vibração da sonoridade e das palavras do mantra que me invade as células e o meu espírito a me dizer que ...

"a paixão é como um Deus
que quando quer 
me toma todo o pensamento... 
dirige os meus movimentos... 
meu passo é dela, 
meu pulso é desse todo poderoso sentimento..."




... e ecoa em mim essa insistente Vida ...



Com afeto
Moema





5 de ago de 2014



"O senhor mire, veja: o mais importante e bonito, 
do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, 
ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. 
Afinam ou desafinam, verdade maior. 
É o que a vida me ensinou. 
Isso que me alegra montão. " 

Grande Sertão: Veredas
Guimarães Rosa 
[1956]





http://pt.wikipedia.org/wiki/Grande_Sert%C3%A3o:_Veredas
Imagem: http://belen-lopez-bailaora.skyrock.com/2876504104-ENTREVISTA.html

15 de jul de 2014

Confissão (Mário Quintana)



Que esta minha paz 
e este meu amado silêncio
Não iludam a ninguém
Não é a paz de uma cidade bombardeada e deserta
Nem tampouco a paz compulsória dos cemitérios
Acho-me relativamente feliz
Porque nada de exterior me acontece...
Mas, em mim, 
na minha alma,
Pressinto que vou ter um terremoto!

Mário Quintana








9 de jul de 2014

No compasso...



... e tudo em seu ritmo natural e preciso...
 porque cada ser é único e todos buscamos a leveza, 
cada qual de acordo com seu poder de resiliência... 
e amanhã é outro dia com outras luzes, outras cores, outros gestos 
e meu olhar será também outro 
pois a cada manhã renasço...

com carinho...
Moema





10 de jun de 2014

Um dia azulim...






Esperança é a coisa com penas
Que se empoleira na alma
E canta um som sem palavras
E nunca, mas nunca, pára,
E mais doce é ouvi-lo no vendaval;
E dura precisa ser a tempestade
Que poderia desanimar o passarinho
Que mantém aquecidos a tantos.
Já o ouvi nas terras mais geladas
E nos mares mais estranhos,
Entretanto nunca, mesmo no desespero,
Ele pediu uma migalha a Mim.

Emily Dickinson 


11 de mai de 2014

Seu dia sempre...


Todos os dias... 
sempre seus... 
Eternamente...


Flora e sua troupe....

Flora e sua troupe... 
(Mem, Bila, Piló)
Fotografia: Papi (Manoel Carlos Dutra Queiroz)
Data: há muitas vidas atrás...




8 de mai de 2014

Vertigem (da série Urbana Legio Paertes, por Moema N Queiroz)





From me to you -  By Jamie Beck & Kevin Burg




"(...) 
-- Dorme agora, 
é só o vento lá fora. 

-- Quero colo! Vou fugir de casa... 
Posso dormir aqui com vocês? 
Estou com medo, tive um pesadelo...
(...) Eu moro em qualquer lugar. 
Já morei em tanta casa que nem me lembro mais...
(...) Sou uma gota d'água, um grão de areia...

-- O que você vai ser quando você crescer?"






Trechos da música "Pais e Filhos" - Legião Urbana
http://www.cifras.com.br/site/radio.htm?idm=4127
Imagem: